Make your own free website on Tripod.com

Home

SANEAMENTO BÁSICO

É o conjunto de medidas, visando preservar ou modificar as condições do meio ambiente com a finalidade de prevenir doenças e promover a saúde.

O Saneamento básico abrange principalmente o abastecimento de água e tratamento  de esgotos, e ainda se inclui o lixo nesta categoria.

 Tratamento da Água

A construção de um sistema completo de abastecimento de água requer muitos estudos e pessoal altamente especializado.

Para iniciar-se os trabalhos, é necessário definir-se:
• a população a ser abastecida;
• a taxa de crescimento da cidade e
• suas necessidades industriais.

Com base nessas informações, o sistema é projetado para servir à comunidade, durante muitos anos, com a quantidade suficiente de água tratada.

Um sistema convencional de abastecimento de água é constituído das seguintes unidades:
• captação
• adução
• estação de tratamento
• reservação
• redes de distribuição
• ligações domiciliares.

ESQUEMA DE TRATAMENTO DA ÁGUA

 

DESCRIÇÃO DAS ETAPAS DO TRATAMENTO

 FLOCULAÇÃO:
Etapa na qual a água é agitada lentamente para a formação dos flocos.

 DECANTAÇÃO:
Etapa na qual os flocos afundam separando-se da água.

 FILTRAÇÃO:
Etapa que retêm os flocos que não afundaram no decantador.

FUNÇÃO DOS PRODUTOS QUÍMICOS UTILIZADOS NO PROCESSO
DE TRATAMENTO

  SULFATO DE ALUMÍNIO:
Substância que agrega as partículas de sujeira que estão na água.

 CAL:
Produto que corrige o pH da água.

 CLORO:
Substância que mata as bactérias e microorganismos presentes na água.

 FLÚOR:
Substância que auxilia na redução das cáries dentárias.

 Demonstração do consumo de água :

 

CONSUMIDOR    ZONA    SISTEMA DISTRIBUIÇÃO     LITROS/DIA

                                                                                               P/  HABITANTES     

HOMEM                  RURAL       BOMBA MANUAL                           25

 HOMEM                  RURAL       TORNEIRA PUBLICA                      25

 HOMEM                  RURAL       LIGAÇÃO DOMICILIAR                 100

 HOMEM                  URBANA   LIGAÇÃO DOMICILIAR                  250 A 200

 TRATAMENTO DE ESGOTO

Ao fazermos todas as nossas atividades cotidianas, como tomar um banho ou larvar uma roupa, estamos sujamos a água que estava limpa. Essa sujeira é constituída de uma mistura de detritos contendo restos de alimentos, detergentes, urina, fezes e outras excretas. É nesse processo que a água se transforma em esgoto.

Cada pessoa, ao consumir em média 200 litros de água por dia, converte cerca de 150 litros em esgoto. Os 50 litros restantes podem voltar à atmosfera através da evaporação ou se infiltrar no solo quando lavamos o quintal ou irrigamos jardins.

Os esgotos são também chamados de resíduos líquidos, pois possuem na sua composição mais de 99% de água. Outros termos são comumente utilizados como sinônimos, entre os quais despejos ou águas residuárias.

Dependendo dos hábitos da população, os resíduos produzidos podem sofrer variações, mas normalmente as características dos esgotos domésticos são bastante uniformes. Em geral, eles possuem um elevado número de bactérias do grupo coliforme. Esses organismos não são patogênicos e habitam normalmente no intestino humano, sendo eliminados no ambiente junto com as fezes.

Portanto a existência de coliformes em um rio indica a presença de esgotos domésticos,e a quantidade de bactérias é proporcional ao número de pessoas que vivem na região que lança seu esgoto nesse rio. Se houver muitos habitantes portadores de doenças contagiosas, os despejos domésticos certamente deverão conter uma grande quantidade de seres patogênicos, juntamente com esses coliformes.

O tratamento de esgoto tem por principal objetivo, a "limpeza" da água, retornando-a para o rio de forma como foi retirada, sem sujeiras e detritos. Isso é feito nas E.T.E. - Estação de Tratamento de Esgoto.

Existem três tipos de sistemas de esgotos:

•Sistema unitário: é a coleta do esgotos pluviais, domésticos e industriais em um único coletor.

•Sistema separador: o esgoto doméstico e industrial ficam separados do esgoto pluvial. É o usado no Brasil.  Pois as águas pluviais não são tão prejudiciais quanto o esgoto doméstico, que tem prioridade por necessitar tratamento.

•Sistema misto: a rede recebe o esgoto sanitário e uma parte de águas pluviais.

ESQUEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO 

 

DESCRIÇÃO DAS ETAPAS DO TRATAMENTO 

GRADE GROSSEIRA:
Retenção dos materiais de grandes dimensões, como latas, madeiras, papelão, etc.

ELEVATÓRIA DE ESGOTO BRUTO:
Recalque dos esgotos para o canal das grades médias.

GRADE MÉDIA:
Remoção de materiais, como trapos, estopas, papéis, etc.

CAIXA DE AREIA:                                                             
Remoção da areia contida no esgoto, que, depois de sedimentada, vai para o classificador de areia.

DECANTADOR PRIMÁRIO:                                           
Remoção do resíduo sedimentável dos esgotos, gorduras e óleos flutuantes. Estes materiais, após serem recolhidos por pontes raspadoras, são bombeados para os digestores.

TANQUE DE AERAÇÃO:                                                                                                                                                           

O efluente do decantador primário passa para o tanque de aeração. Combinando-se a agitação do esgoto com a injeção de ar, desenvolve-se, no tanque de aeração, uma massa líquida de     microorganismos denominada "lodos ativados". Estes microorganismos alimentam-se de      matéria orgânica, contidos no efluente do decantador primário, e se proliferam na presença do oxigênio.

DECANTADOR SECUNDÁRIO:
Remoção dos sólidos (flocos de lodo ativado), que, ao sedimentarem no fundo do tanque são raspados para um poço central, retornando para o tanque de aeração. A parte líquida vertente do decantador é destinada ao Rio.

ELEVATÓRIA DE RETORNO DE LODO:                             
O lodo ativado, recolhido no decantador secundário por pontes removedoras de lodo, é encaminhado a bombas, retornando aos tanques de aeração e o excesso do lodo ao decantador primário .

ELEVATÓRIA DE LODO PRIMÁRIO:
Recalque do lodo gradeado para o interior dos adensadores de gravidade e digestores.

RETIRADA DO SOBRENADANTE:                                     
Os adensadores e digestores são equipados com válvulas para a retirada do sobrenadante (líquido que se separa do lodo digerido), que retorna ao início do processo.

ADENSADORES DE GRAVIDADE:                                      
Equipado com um removedor mecanizado de lodo e escuma, de tração central. O efluente é coletado em um canal periférico e enviado para um sistema de coleta de efluentes da fase sólida.

DIGESTORES:                         
O lodo removido durante o processo de tratamento é enviado aos digestores. São grandes tanques de concreto hermeticamente fechados, onde, através do processo de fermentação, na ausência de oxigênio (processo anaeróbico), se processará a transformação de lodo em matéria altamente mineralizada, com carga orgânica reduzida e diminuição de bactérias patogínicas.

SECADOR TÉRMICO:                                                         
Retira a água do lodo proveniente dos digestores, elevando seu teor de sólidos até o mínimo de 33%, seguindo para os silos e com destino para agricultura ou aterro sanitário.

CUSTOS  DE  MATERIAIS  E  MÃO DE OBRA 

 - Tubulação (manilha de grês – cerâmica) DN150                     Metro              R$ 27,00

 - Tampa de concreto                                                                   Peça               R$  54,00

 - Concreto magro                                                                                         R$  410,00

 - Brita 1                                                                                                        R$  243,00

 - Argamassa traço 1:3                                                                                  R$  206,00

 - Areia média                                                                                                R$  69,00

 - Tijolo maciço                                                                           Mil                 R$  195,00

 - Escavação                                                                                                   R$  41,00

 - Assentamento de tubulação                                                     Metro               R$  32,00

 - Reaterro                                                                                                      R$  16,00

 - Execução de poços de visitas                                                  Peça                 R$  420,00

ALGUNS EXEMPLOS DOS EFEITOS DAS AÇÕES DE SANEAMENTO NA SAÚDE

Água de boa qualidade para o consumo humano e seu fornecimento contínuo asseguram a redução e controle de: diarréias, cólera, dengue, febre amarela, tracoma, hepatites, conjuntivites, poliomielite, escabioses, leptospirose, febre tifóide, esquistossomose e outras verminoses.

Coleta regular, acondicionamento e destino final adequado do lixo diminuem a incidência de casos de: peste, febre amarela, dengue, toxoplasmose, leishmanioses, cisticercose, salmonelose, teníase, leptospirose, cólera e febre tifóide.

Drenagem contribui para a eliminação, redução ou modificação dos criadouros de vetores transmissores da malária e de seus índices de prevalência e incidência.

Esgotamento sanitário contribui para reduzir ou eliminar doenças e agravos como a esquistossomose, outras verminoses, diarréias, cólera, febre tifóide, cisticercoce, teníase e hepatites.

Melhorias sanitárias domiciliares estão relacionadas com a redução de: esquistossomose, outras verminoses, escabiose, tracoma e conjuntivites, cólera, diarréias, febre tifóide e hepatites.

O Brasil, em pleno século 21, trata só 10% dos esgotos que coleta, e o mais grave é que quase 50% da população brasileira nem mesmo sequer tem coleta de esgoto, segundo dados do IBGE.
 
SANEAMENTO AMBIENTAL

É uma série de medidas prévias que garantam a adequada ocupação do solo urbano. Abrangendo assim desde o abastecimento de água, ao cuidado com a destinação de resíduos sólidos e esgotamento sanitário, até obras de drenagem urbana, controle de vetores e focos de doenças transmissíveis, e mesmo a preocupação com a melhoria das condições de habitação e a educação sanitária e ambiental.

Na área do saneamento ambiental é importante dizer que o saneamento básico, sem dúvida, é um fator de grande importância para a preservação da saúde do homem, pois se responsabiliza por sistemas de tratamento e distribuição de água, coleta e tratamento de efluentes domésticos e industriais, coleta e disposição de resíduos sólidos e controle da qualidade do ar.                                               

Voltar